Arquivo do mês: setembro 2011

Faz de nós templo do Espírito Santo

Senhor Nosso Deus, que fez descer o Espírito Santo sobre os apóstolos e abriu seus lábios por línguas de fogo, abra também as nossas, a nós pecadores, e ensina-nos a proclamar Tuas maravilhas a todos os habitantes da terra.

Renova nossos corações. Que o Espírito faça em nós obra de restauração para que nós sejamos apóstolos cheios de audácia para trabalhar pela Gloria do Pai.

Obrigado pelo Consolador que Tu nos tinha prometido, por Teu Espírito de Verdade que nos conduz à liberdade por inteiro, e pelo qual nos envia aos nossos irmãos para seguir Sua missão, anunciar Sua Salvação.

Obrigado por fazer de nós templos do Espírito Santo, lugar de troca de amor trinitário. Que Ele aja sem cessar em nós para nos transformar à Sua imagem e que nós sejamos reflexos de Tua beleza para o mundo.

Belas músicas da Santa Missa

São elas:

  • PODES REINAR

______

  • DEUS ESTÁ AQUI

______

  • ESTÁS ENTRE NÓS

______

  • COMO ÉS LINDO

______

  • QUANDO TEU PAI REVELOU O SEGREDO A MARIA

______

  • TE AMAREI SENHOR

______

Muitas outras músicas… Continuar lendo

Ser prudente em nossas ações

Não se há de dar crédito a toda palavra nem a qualquer impressão, mas cautelo- sa e naturalmente se deve, diante de Deus, ponderar as coisas. Sabemos que mais facilmente acreditamos e dizemos dos outros o mal que o bem, tal é a nossa fra- queza. As almas perfeitas, porém, não crêem levianamente em qualquer coisa que se lhes conta, pois conhecem a fraqueza humana inclinada ao mal e fácil de pecar por palavras.

"Prudência", Piero del Pollaiuolo.

Grande sabedoria é não ser precipitado nas ações, nem aferrado obstinadamente à sua própria opinião; sabedoria é também não acreditar em tudo que nos dizem, nem comunicar logo a outros o que ouvimos ou suspeitamos. Toma conselho com um varão sábio e consciencioso, e procura antes ser instruído por outrem, melhor que tu, que seguir teu próprio parecer. A vida virtuosa faz o homem  sábio diante de Deus e entendido em muitas coisas. Quanto mais humilde for cada um em si e mais sujeito a Deus, tanto mais prudente será e calmo em tudo.

Pela manhã, pensa que não chegarás à noite, e à noite não te prometas o dia seguinte. Por isso anda sempre preparado e vive de tal modo que te não encontre a morte desprevenido. Muitos morrem repentina e inesperadamente; pois na hora em que menos se pensa, virá o Filho do Homem (Lc 12,40). Quando vier àquela hora derradeira, começarás a julgar mui diferentemente toda a tua vida passada, e doer-te-á muito teres sido tão negligente e remisso.

Quão feliz e prudente é aquele que procura ser em vida como deseja que o ache a morte. Pois o que dará grande confiança de morte abençoada é o perfeito des- prezo do mundo, o desejo ardente do progresso na virtude, o amor à disciplina, o rigor na penitência, a prontidão na obediência, a renúncia de si mesmo e a  paci- ência em sofrer, por amor de Cristo, qualquer adversidade. Mui fácil é praticar o bem enquanto estás são; mas, quando enfermo, não sei o que poderás.

Fonte: Livro Imitação de Cristo.

Vaidade das vaidades, e tudo é vaidade

Quem me segue não anda nas trevas, diz o Senhor (Jo 8,12). São estas as pala- vras de Cristo, pelas quais somos advertidos que imitemos sua vida, se verda- deiramente queremos ser iluminados e livres de toda cegueira de coração. Seja, pois, o nosso principal empenho meditar sobre a vida de Jesus Cristo.

Muitos, embora ouçam frequentemente o Evangelho, sentem nele pouco enle- vo: é que não possuem o espírito de Cristo. Quem quiser compreender e sabo- rear plenamente as palavras de Cristo é-lhe preciso que procure conformar à dele toda a sua vida.

Que te aproveita discutires sabiamente sobre a SS. Trindade, se não és humilde, desagradando, assim, a essa mesma Trindade? Na verdade, não são palavras elevadas que fazem o homem justo; mas é a vida virtuosa que o tor- na agradável a Deus. Prefiro sentir a contrição dentro de minha alma, a sa- ber defini-la. Se soubesses de cor toda a Bíblia e as sentenças de todos os filósofos, de que te serviria tudo isso sem a caridade e a graça de Deus? Vaidade das vaidades, e tudo é vaidade (Ecle 1,2), senão amar a Deus e só a ele servir. A suprema sabedoria é esta: pelo desprezo do mundo tender ao reino dos céus.

A Vaidade, na pintura, é sobretudo representada pela natureza morta, isto é, a reprodução de objetos ou animais mortos.Esta é uma obra de Antonio de Pereda (Espanha, 1611-1678), O Sonho do Cavaleiro.

Vaidade é, pois, buscar riquezas perecedoras e confiar nelas. Vaidade é também ambicionar honras e desejar posição elevada. Vaidade, seguir os apetites da carne e desejar aquilo pelo que, depois, serás gravemente castigado. Vaidade, desejar longa vida e, entretanto, descuidar-se de que seja boa. Vaidade, só aten- der à vida presente sem providenciar para a futura. Vaidade, amar o que passa tão rapidamente, e não buscar, pressuroso, a felicidade que sempre dura.

Lembra-te a miúdo do provérbio: Os olhos não se fartam de ver, nem os ouvi- dos de ouvir (Ecle 1,8). Portanto, procura desapegar teu coração do amor às coisas visíveis e afeiçoá-lo às invisíveis: pois aqueles que satisfa- zem seus apetites sensuais mancham a consciência e perdem a gra- ça de Deus.

Fonte: Livro “Imitação de Cristo”.

Conhecendo o caminho a seguir

E os teus ouvidos ouvirão a palavra que esta por detrás de ti, dizendo:
Este é o caminho; ainda nele, sem vos desviardes nem para a direita
nem para a esquerda
.”
(Isaías 30:21)

Oramos por muitas coisas – coisas de que precisamos, coisas que desejamos, se- gurança para a família, misericórdia no dia-a-dia, força em tempos de sofrimen- to. Oramos frequentemente por orientação. Precisamos saber a vontade de Deus porque nela há segurança. Quando vivemos alheios à vontade de Deus, sentimo-nos desprotegidos.

Todos desejamos viver no centro da vontade de Deus; é por isso que não deve- mos seguir uma carreira, mudar de endereço ou fazer qualquer outra alteração importante na vida sem saber se é essa a vontade de Deus. O meio de descobrir é pedir regularmente a Deus que a deixe clara e, então, suplicar que nos guie. Deus lhe responderá e dará paz segundo o seu propósito para sua vida. Como é mara- vilhoso sentir a paz que advém da certeza de estarmos no caminho de Deus. Po- demos confiar que, aconteça o que acontecer, não precisamos nos preocupar porque estamos exatamente onde Deus quer que estejamos.

Não raro deixamos de ouvir essa voz atrás de nós. Em vez disso, ouvimos as vo- zes circundantes; ouvimos nossas preocupações e questões internas; estamos com pressa e, portanto, avançamos pelo caminho e esperamos que tudo se resol- va.


Isaías pronunciou essa promessa sobre a orientação de Deus enquanto descrevia as pessoas se voltando novamente para Deus. Ele acabara de profetizar sobre a compaixão divina ao esperar que ordenassem suas prioridades. Uma vez estabe- lecidas e atraído o coração para a direção certa, a voz de Deus os guiaria.

Ao buscar orientação, procure ouvir a voz de Deus. Ele vai escutá-lo. Reserve alguns momentos para esperar Nele e dar-lhe tempo para responder.

Fonte: A Bíblia da Mulher que Ora.

A ira gera a autodestruição

A ira e o furor são duas coisas execráveis; só o homem pecador os nutre no coração. Aquele que se vinga, sofrerá a vingança do Senhor, que lhe pedirá contas rigorosas dos seus pecados. Perdoa ao teu próximo o mal que te fez, e os teus pecados, se o pedires na tua oração, serão perdoados. Um homem guarda rancor contra outro homem, e pede a Deus que o cure? Não tem com- paixão do seu semelhante, e pede o perdão dos seus pecados? Ele, que é um simples mortal, guarda rancor; quem lhe alcançará o perdão dos seus peca- dos? Lembra-te do teu fim, e deixa-te de inimizades; pensa na corrupção e na morte, e guarda os mandamentos. Lembra-te dos mandamentos, e não te ires contra o próximo, lembra-te da aliança com o Altíssimo, e não faças caso do erro do teu próximo.
(Livro de Eclesiástico 27,30.28,1-7)

A ira é um terreno de autodestruição. Quantas pessoas são tomadas pela ira e destroem a sua vida e de outras pessoas? Esse pecado enche nosso coração de uma raiva profunda, que nos tira a lucidez.

A passagem bíblica que norteia o momento de intercessão está em Mateus 5, 22-23: “Todo aquele que chamar o seu irmão de imbecil já está cometendo o pecado de ira”.

E um dos principais motivos de nossa ira é o pecado alheio contra nós. Como nos incomoda o erro do nosso irmão. E para refletirmos sobre este assunto, temos o Evangelho deste domingo:

Então, Pedro aproximou-se e perguntou-lhe: «Senhor, se o meu irmão me ofender, quantas vezes lhe deverei perdoar? Até sete vezes?» Jesus respondeu: «Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete…
(Mateus 18:21)

Cristo pede-nos portanto duas coisas: que condenemos os nossos pecados, que perdoemos os dos outros; que façamos a primeira coisa por causa da segunda, a qual nos será então mais fácil, pois aquele que pensa nos seus próprios pecados será menos severo para com o seu companheiro de miséria. E devemos perdoar não por palavras apenas, mas «do fundo do coração», para que contra nós não se vire o ferro com que pensamos bater nos outros. Que mal te pode fazer o teu inimigo, que seja comparável àquele que a ti próprio fazes? […] Se te deixas chegar à indignação e à cólera, serás ferido não pela injúria que ele fez contra ti, mas por esse teu ressentimento. Portanto não digas: «Ele ultrajou-me, caluniou-me, fez-me coisas miseráveis.» Quanto mais disseres que te fez mal, mais mostras, afinal, que te fez bem, pois deu-te ocasião para te purificares dos pecados. Assim, quanto mais ele te ofender, mais te põe em estado de obteres  de Deus o perdão para as tuas faltas. Porque, se nós quisermos, ninguém nos poderá prejudicar; e até os nossos inimigos nos prestarão assim um grande ser- viço […] Considera portanto a vantagem que retiras das injúrias, se as sofreres com humildade e mansidão.

E lembre-se, a melhor maneira de acalmar o coração é por meio da oração. Diga do fundo da sua alma:

Venha desarmar o meu coração, Senhor.
Envia o seu Espírito Santo de mansidão em mim, liberta-me da ira.
Não quero me entregar à ira, mas ao amor de Deus”.

Deixe Jesus agir em sua vida…

Como São Paulo nos diz em (Timóteo 1:12-14): “Dou graças àquele que me confortou, Cristo Jesus Nosso Senhor, por me ter considerado digno de con- fiança, pondo-me ao seu serviço,  a mim que antes fora blasfemo, perseguidor e violento. Mas alcancei misericórdia, porque agi por ignorância, sem ter fé ainda. E a graça de Nosso Senhor manifestou-se em mim com superabundân- cia, juntamente com a fé e o amor que está em Cristo Jesus.”

Eu agradeço a Deus pela sua grande misericórdia e por Sua Graça ter agido em mim! Busco agora, fervorosamente, ser um verdadeiro discipulo de Deus, mas pra isso o que devo fazer? Vejamos..

Verdadeira Conversão

Jesus rejeitava, muitas vezes, aqueles que tentavam segui-lo. A um jovem rico que buscava o seu conselho, ele replicou com palavras tão fortes que o homem foi embora entristecido, não disposto a seguir Jesus a tão alto preço (Mateus 19:16-22). A um importante líder religioso, Nicodemos, que tinha vindo lou- vando Jesus, o Senhor respondeu abruptamente: Você tem que nascer de novo, se quiser ao menos ver o reino de Deus (João 3:1-8)! Jesus apontava Continuar lendo