Arquivo da categoria: Uncategorized

Oração para o Natal

Presépio

Hoje todo o mundo alegra-se pela vinda do Salvador à terra, na nossa pobre condição humana. Nós, como família e amigos , alegramo-nos e festejamos este extraordinário acontecimento.

<<Coloca-se o Menino Jesus no presépio.>>

O Verbo se fez carne e habitou entre nós! Jesus por nós nasceu! Jesus, vós que fostes criança como todos nós, concedei-nos nesta Noite Santíssima um coração de criança para que possamos ser sempre felizes, confiantes e cheios de ternura e afeto para com todos.

Abençoa Senhor neste Natal, as pessoas aqui presentes e a família de cada um de nós. Que dentro de nosso lar habite a confiança de tua mãe, Maria, o zelo de teu pai, José, e a inocência de teu rosto de criança.

Concede-nos a saúde da alma e do corpo, para que possamos cantar Teus louvores a cada dia deste novo ano. Que nossas portas estejam sempre abertas para Ti, nas visitas que nos fazes em tantos rostos sofridos. Dá-nos a alegria de Tua presença em nosso lar: o maior de todos os presentes possíveis. Ó vós, que sois Deus com o Pai e o Espírito Santo pelos séculos dos séculos.

Amém.

Todos: Pai nosso e Ave-Maria.

Anúncios

Obrigado a ti, mulher!

obrigado ao Senhor pelo seu desígnio sobre a vocação e a missão da mulher no mundo, torna-se também um concreto e direto obrigado às mulheres, a cada mulher, por aquilo que ela representa na vida da humanidade.

flores

Obrigado a ti, mulher-mãeque te fazes ventre do ser humano na alegria e no sofrimento de uma experiência única, que te torna o sorriso de Deus pela criatura que é dada à luz, que te faz guia dos seus primeiros passos, amparo do seu crescimento, ponto de referência por todo o caminho da vida.

Obrigado a ti, mulher-esposaque unes irrevogavelmente o teu destino ao de um homem, numa relação de recíproco dom, ao serviço da comunhão e da vida.

Obrigado a ti, mulher-filha e mulher-irmãque levas ao núcleo familiar, e depois à inteira vida social, as riquezas da tua sensibilidade, da tua intuição, da tua generosidade e da tua constância.

Obrigado a ti, mulher-trabalhadoraempenhada em todos os âmbitos da vida social, econômica, cultural, artística, política, pela contribuição indispensável que dás à elaboração de uma cultura capaz de conjugar razão e sentimento, a uma concepção da vida sempre aberta ao sentido do «mistério», à edificação de estruturas econômicas e políticas mais ricas de humanidade.

Obrigado a ti, mulher-consagradaque, a exemplo da maior de todas as mulheres, a Mãe de Cristo, Verbo Encarnado, te abres com docilidade e fidelidade ao amor de Deus, ajudando a Igreja e a humanidade inteira a viver para com Deus uma resposta «esponsal», que exprime maravilhosamente a comunhão que Ele quer estabelecer com a sua criatura.

Obrigado a ti, mulherpelo simples fato de seres mulher! Com a percepção que é própria da tua feminilidade, enriqueces a compreensão do mundo e contribuis para a verdade plena das relações humanas.

Fonte:  Trecho da carta de João Paulo II às mulheres em 1995.

E não nos deixes cair em tentação

A formulação deste pedido é para muitos escandalosa: Deus não nos conduz à tentação. Na realidade, diz-nos S. Tiago: “Ninguém que caia em tentação pode dizer: fui levado por Deus à tentação. Pois Deus não pode ser tentado a fazer o mal e Ele mesmo não leva ninguém à tentação” (Tg 1,13). A tentação vem do demônio, mas faz parte da missão messiânica de Jesus vencer as grandes tentações que desviaram a humanidade de Deus e continuam a desviar. Ele deve, como vimos, suportar as tentações até a morte na cruz e assim nos abrir o caminho da redenção. Não é só depois da morte, mas também nela e em toda a sua vida, que, por assim dizer, deve “descer ao inferno”, ao espaço das nossas tentações e derrotas, para nos pegar pela mão e nos trazer para cima. A Carta aos Hebreus atribuiu a este aspecto um valor muito especial, evidenciou-o como uma parte essencial do caminho de Jesus: “Porque Ele mesmo foi conduzido à tentação e sofreu, pode ajudar aqueles que são levados à tentação” (Hb 2,18). “Nós de fato não temos um Sumo Sacerdote que não possa compadecer-se com as nossas fraquezas, mas um que em tudo foi tentado como nós, mas que não pecou” (Hb 4, 15).

Uma vista de olhos no Livro de Jó, no qual, sob muitos aspectos, é já desenhado o mistério de Cristo, pode ajudar-nos em outros esclarecimentos. Satanás escarnece do homem para escarnecer de Deus: a sua criatura, que Ele criou à sua imagem, é uma criatura miserável. Tudo o que nela parece bom é apenas fachada; na realidade, o que interessa ao homem, a cada homem, é apenas e sempre o próprio bem-estar. Este é o diagnóstico de Satanás, que o Apocalipse caracteriza como o “acusador dos nossos irmãos“, “que os acusa dia e noite diante de Deus” (Ap 12,10). A difamação do homem e da criação é, em última análise, difamação de Deus, justificação para a sua renúncia. Satanás quer demonstrar em Jó a sua tese: quando tudo lhe for tirado, também ele deixará cair a sua piedade. Então Deus dá a Satanás a liberdade para a provação, mesmo se com limites bem definidos.

Deus não deixa o homem cair, mas ser provado. Aqui aparece de modo muito suave, quase imperceptível, o mistério da representação que alcança grande forma em Isaías, capítulo 53: os sofrimentos de Jó servem para a justificação do homem. Ele restabelece, por meio da sua fé conservada  no sofrimento, a honra do homem. Assim, os sofrimentos de Jó são antecipadamente sofrimentos em comunhão com Cristo, que restabeleceu para todos nós a honra perante Deus e nos mostra o caminho para, mesmo na obscuridade, não perdermos a fé em Deus.

O Livro de Jó pode também nos ajudar numa distinção entre provação e tentação. Para se tornar maduro, o homem precisa de provação, para realmente encontrar uma piedade numa sempre mais fundamentada comunhão de ser com a vontade de Deus. Tal como o sumo da uva deve fermentar para se tornar um vinho generoso, do mesmo modo o homem precisa de purificações, de transformações, que são perigosas para ele, nas quais pode cair, mas que também são caminhos indispensáveis para chegar a si mesmo e a Deus. O amor é sempre mais um processo de purificações, de renúncias, de dolorosas transformações de nós mesmos e assim caminho de maturidade. Quando S. Francisco Xavier em oração com Deus podia dizer: “Eu amo-te não porque tu tens o céu ou a terra para dar, mas simplesmente porque tu és — meu rei e meu Deus”, é porque certamente tinha sido necessário um longo caminho de interiores purificações até chegar a esta última liberdade: um caminho da maturação, no qual a tentação e o perigo da queda espreitavam, e, no entanto, um caminho necessário.

Assim, já podemos explicar de modo mais concreto o sexto pedido do Pai-Nosso. Com ele dizemos a Deus: “Eu sei que preciso de provações para que o meu ser se torne puro. Se tu sobre mim dispões estas provações, se tu — como em Jó — dás ao mal um pedaço de espaço livre, então pensa, por favor, na medida limitada da minha força. Não confies demasiado em mim. Não puxes para demasiado longe os limites dentro dos quais eu posso ser tentado e estejas próximo com a tua mão protetora, quando se tornar demasiado para mim”. Foi neste sentido que S. Cipriano explicou este pedido. Ele diz: quando pedimos “e não nos conduzas à tentação”, expressamos a consciência de que o inimigo não pode tudo contra nós, se não lhe for antes permitido, de modo que, no nosso temor, a nossa doação e a nossa atenção se voltam para Deus, porque ao mal nada é permitido, se não lhe for dado o pleno poder para isso” (De dom.or. 25, p. 285s).

E ele explica então ponderadamente a forma psicológica da tentação, de tal modo que pode haver duas diferentes razões pelas quais Deus concede ao mal um poder limitado. Isso pode acontecer por penitência, para dominar o nosso orgulho, para que experimentemos de novo a pobreza da nossa fé, da nossa esperança e do nosso amor e não nos vangloriemos de sermos grandes por nós mesmos: pensemos no fariseu que conta a Deus as suas próprias obras e que parece não necessitar de nenhuma graça. Infelizmente, S. Cipriano não explica mais detalhadamente o que significa a segunda espécie da provação — a tentação que Deus nos impõe ad gloriam, para a Sua glória. Mas não devemos aqui pensar que Deus carregou com uma carga de tentação especialmente pesada aqueles homens que Lhe estavam mais próximos, os grandes santos, desde Sto. Antão no deserto até Sta. Teresa de Lisieux no mundo piedoso do seu Carmelo. Eles se situam, por assim dizer, no seguimento de Jó, como apologia do homem, que é ao mesmo tempo defesa de Deus. Mais ainda: eles estão de um modo muito especial em comunhão com Jesus Cristo, que sofreu até o fim as nossas tentações. Eles são chamados a vencer as tentações no seu próprio corpo, na sua própria alma, suportá-las por nós, as almas habituais, e nos ajudar a chegar àquele que tomou sobre si a carga de todos nós.

Na nossa oração do sexto pedido do Pai-Nosso deve estar contida, por um lado, a disponibilidade para tomarmos sobre nós mesmos a carga na provação que nos está atribuída. Mas por outro lado trata-se precisamente do pedido para que Deus não nos atribua mais do que aquilo que podemos agüentar; que Ele não nos deixe escapar das Suas mãos. Nós dizemos esta oração na certeza confiante para a qual S. Paulo nos deu estas palavras: “Deus é fiel; Ele não vai permitir que sejais tentados acima das vossas forças. Na tentação Ele há-de encontrar para vós um caminho de saída, de tal modo que a ela possais resistir” (1 Cor 10,13).

Fonte: livro Jesus de Nazaré do Cardeal Joseph Ratzinger (BentoXVI)

Deixe Jesus agir em sua vida…

Como São Paulo nos diz em (Timóteo 1:12-14): “Dou graças àquele que me confortou, Cristo Jesus Nosso Senhor, por me ter considerado digno de con- fiança, pondo-me ao seu serviço,  a mim que antes fora blasfemo, perseguidor e violento. Mas alcancei misericórdia, porque agi por ignorância, sem ter fé ainda. E a graça de Nosso Senhor manifestou-se em mim com superabundân- cia, juntamente com a fé e o amor que está em Cristo Jesus.”

Eu agradeço a Deus pela sua grande misericórdia e por Sua Graça ter agido em mim! Busco agora, fervorosamente, ser um verdadeiro discipulo de Deus, mas pra isso o que devo fazer? Vejamos..

Verdadeira Conversão

Jesus rejeitava, muitas vezes, aqueles que tentavam segui-lo. A um jovem rico que buscava o seu conselho, ele replicou com palavras tão fortes que o homem foi embora entristecido, não disposto a seguir Jesus a tão alto preço (Mateus 19:16-22). A um importante líder religioso, Nicodemos, que tinha vindo lou- vando Jesus, o Senhor respondeu abruptamente: Você tem que nascer de novo, se quiser ao menos ver o reino de Deus (João 3:1-8)! Jesus apontava Continuar lendo

O Respeito devido aos Sacerdotes

Segue abaixo outra parte do que Deus disse Santa Catarina de Sena.

Filha querida, disse tais coisas para que melhor compreendas a dignidade dos meus ministros e chores com mais amargor os seus pecados. Se os ministros meditassem sobre a própria dignidade, não viveriam em pecado mortal, não manchariam sua alma. Se eles não me ofendessem, se não pecassem contra a própria dignidade, se entregassem até o corpo para ser queimado, mesmo assim não me agradeceriam suficientemente pelo dom que receberam. Neste mundo é impossível uma dignidade maior. São ungidos meus, meus cristos, (Salmo 105,15) postos por Mim na função de ministros, flores perfumadas na hierarquia da Santa Igreja. Nem os anjos possuem dignidade igual a esta concedida aos homens, na pessoa dos sacerdotes. Coloquei-os como anjos na terra, e como tais devem viver. De todos os homens exijo pureza e amor; todos devem amar-me e amar o próximo; todos devem socorrer o irmão naquilo que lhes for possível com orações e obras de caridade, assim como já disse em outro lugar, ao tratar desse assunto. Mas dos meus ministros peço pureza maior, maior amor por mim e pelos homens. Que distribuam o corpo e o sangue do Meu Filho com grande desejo da salvação da humanidade, para glória do Meu nome. Da mesma forma como eles querem limpo o cálice usado no sacrifício eucarístico, também eu quero que sejam puros os seus corações, suas almas, seus pensamentos. Igualmente seus corpos – instrumentos da alma – hão de ser possúídos em perfeita pureza. Não quero que se envolvam na lama da luxúria, nem que se mostrem inflados de orgulho na procura de cargos prelatícios ou cheios de rancor por si mesmos e pelos outros. A insatisfação pessoal costuma manifestar-se sobre os outros; quando impacientes, os ministros terminarão dando maus exemplos, não se preocuparão em livrar os homens das mãos do demônio, não se dedicarão com esforço ao ministério do corpo e sangue do meu Filho, não distribuirão a luz da eucaristia na forma explicada .

Desejo que os ministros sejam generosos, sem ganância. Não quero que vendam a graça do Espírito Santo por amor ao dinheiro. Gratuitamente e com liberalidade receberam de Mim; por Meu amor e para a salvação dos homens devem distribuir, com atitude semelhante, a todo aquele que na humildade os procurar. Nada podem vender, porque nada compraram. Receberam grátis para repartir. Como retribuição apenas podem e devem aceitar ofertas; compete ao súdito fazer os donativos de acordo com suas posses. Nas suas necessidades temporais, os ministros serão sustentados por vós, da mesma forma como sois alimentados por eles com a graça e os dons do Espírito, que deixei na Santa Igreja a fim de que fossem distribuídos para vossa salvação. Lembro-vos, são os ministros que dão incomparavelmente mais; impossível comparar os bens finitos e materiais, mediante os quais vós Continuar lendo

A Igreja Militante que espera no Senhor

Viver pra Ti Jesus

Vídeo muito bonito da cantora Gabriela Rocha cantando Viver para Ti , e que ao fim ela dá um testemunho de fé e confiança no Senhor.

Obs.: Pode pular 2 minutos da introdução do Raul Gil falando de seu filho e seus trabalhos.

LETRA:

Confio em Ti Meu Senhor
Sei que não vai me abandonar
Contigo eu sempre quero estar
Conhecer da Tua Graça
Desfrutar do Teu amor
Quero viver pra Ti Jesus
Pois prazer maior não há

Eu quero te adorar Senhor
Demonstrar todo meu Amor
Me aconchegar em Teus braços
Pois Contigo eu sei não estou sozinha

Quero viver pra Ti Jesus
Olha pra mim meu Senhor
não posso viver longe de Ti
me ilumina meu Criador

Quero viver pra Ti Jesus
Contigo eu quero morar
Estar ao lado do Rei e ser Feliz,Feliz
pra sempre…

E quando esse dia chegar
Quando a trombeta tocar
E os Anjos anunciar
A volta do meu Jesus
Todo joelho se dobrará
e toda língua confessará
que só Tu és, Tu és Senhor…

Quero viver pra Ti Jesus
Olha pra mim meu Senhor
não posso viver longe de Ti
me ilumina meu Criador

Quero viver pra Ti Jesus
Contigo eu quero morar
Estar ao lado do Rei e ser Feliz, Feliz
pra sempre…