Arquivo da tag: Felipe Aquino

Entenda o que representa o Domingo de Ramos

A Semana Santa começa no domingo chamado de Ramos porque celebra a entra- da de Jesus em Jerusalém montado em um jumentinho – o símbolo da humilda- de – e aclamado pelo povo simples que o aplaudia como “Aquele que vem em nome do Senhor”.

Esse povo tinha visto Jesus ressuscitar Lázaro de Betânia há poucos dias e estava maravilhado. Ele tinha a certeza de que este era o Messias anunciado pelos Pro- fetas; mas esse povo tinha se enganado no tipo de Messias que ele era. Pensavam que fosse um Messias político, libertador social que fosse arrancar Israel das garras de Roma e devolver-lhe o apogeu dos tempos de Salomão.

Para deixar claro a este povo que ele não era um Messias temporal e político, um libertador efêmero, mas o grande libertador do pecado, a raiz de todos os males, então,Ele entra na grande cidade, a Jerusalém dos patriarcas e dos reis sagrados, montado em um jumentinho; expressão da pequenez terrena. Ele não é um Rei deste mundo!

Dessa forma o Domingo de Ramos é o início da Semana que mistura os gritos de hosanas com os clamores da Paixão de Cristo. O povo acolheu Jesus abanando seus ramos de oliveiras e palmeiras. Os ramos significam a vitória: “Hosana ao Filho de Davi: bendito seja o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel; hosa- na nas alturas“.

Os Ramos santos nos fazem lembrar que somos batizados, filhos de Deus, membros de Cristo, participantes da Igreja, defensores da fé ca- tólica, especialmente nestes tempos difíceis em que ela é desvalorizada e espe- zinhada.

Os Ramos sagrados que levamos para Continuar lendo

Você sabe exatamente o que é ter Sabedoria?

O Prof. Felipe Aquino explica perfeitamente o que é ter o dom da sabedoria.

Maria, a mãe do meu Senhor

Debaixo de vossa proteção nos refugiamos,
ó Santa mãe de Deus.
Não desprezeis nossas súplicas em nossas necessidades,
mais livrai-nos sempre de todos os perigos,
ó Virgem gloriosa e bendita.

Ação do demônio

A Igreja Militante que espera no Senhor

Tanta ganância há neste mundo… :(

Outro pecado capital é a ganância ou avareza. São Paulo classifica a avareza como idolatria: “Mortificai, pois, os vossos membros terrenos: fornicação, im- pureza, paixões, desejos maus, cupidez e a avareza, que é idolatria” (Cl 3,5). A razão do Apóstolo ver como idolatria o apego aos bens materiais, sobretudo ao dinheiro, é que isto faz a pessoa amá-lo como a um deus. Desde o princípio Jesus alertou, os discípulos para este perigo, já no Sermão da Montanha:

Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou odiará a um e amará o outro, ou dedica-se a um e desprezará o outro. Não podeis servi a Deus e a riqueza
(Mt 6,24)

O que importa é que a pessoa não seja escrava do dinheiro e dos bens.  É claro que todos nós precisamos do dinheiro; o próprio Jesus tinha um “tesoureiro” no grupo dos Apóstolos. São Paulo afirma que “a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro”. (1Tm 6,10). Veja que, portanto, o mal, não é o dinheiro em si, mas o “amor” ao dinheiro; isto é, o apego desordenado que faz a pessoa buscar o dinheiro como um fim, e não como um meio.

Porque sabei-o bem: nenhum dissoluto, ou impuro, ou avarento – verdadeiros idólatras ! – terão herança no reino de Cristo e de Deus”.
(Ef 5,5)

É importante notar aqui que não são apenas os ricos que podem se tor- nar avarentos, embora sejam mais levados a isto. Não é  raro encontrar tam- bém o pobre avarento. Por isso, no mesmo Sermão da Montanha, Jesus alerta:

Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a ferrugem e as traças corroem, onde os ladrões furam e roubam. Ajuntai para vós tesouros no céu, onde não os consomem nem as traças nem a ferrugem, e os ladrões não furam nem roubam”.
(Mt 6,19-20).

Se Jesus recomenda “não ajuntar tesouros na terra”, é porque esta riqueza e se- gurança são ilusórias e não podem satisfazer-nos, por mais que o mundo nos diga que sim. Por causa do amor ao dinheiro muitos aceitam praticar a mentira, a falsidade, o crime e a fraude. Quantos produtos falsificados! quantos quilos que só possuem 900 gramas!  quanta enganação e trapaça nos ne- gócios! Poderemos constatar que toda a corrupção, tráfico de drogas, armas, crimes, etc., tem atrás a sede do dinheiro. Jesus recomendou ao povo:

Guardai- vos escrupulosamente de toda avareza, porque a vida de um homem, ainda que ele esteja na abundância, não depende de suas riquezas.”
(Lc 12,15)

O apego aos bens desse mundo é algo muito forte em nós, quase que uma “segunda natureza”, e portanto, só com o auxílio da graça de Deus poderemos vencer esta tentação forte. Desde pequenos fomos educados para “ganhar a vida”. Será preciso a força do Espírito Santo em nossa alma para nos “convencer” da necessidade de uma vida de desprendimento e pobreza.

Escrito por: Prof. Felipe Aquino

Prof. Felipe Aquino explica: “Será Que Posso Comungar?”