Arquivo da tag: Graça de Deus

Seja feita a Vossa Vontade assim na terra como no Céu

O Espírito Santo produz em vós um terceiro dom, chamado dom de Ciência.

O Espírito Santo não produz nos bons somente o dom do Temor e o dom da Piedade que, como vimos no post anterior do Pai Nosso, é um amor delicado por Deus. O Espírito Santo torna o homem sábio.

Davi pedia o dom da ciência no Salmo (119, 66), dizendo: Ensinai-me a bondade, a doutrina e a ciência. E é esta ciência do bem viver, que nos ensina o Espírito Santo.

Entre as disposições que contribuem para a ciência e a sabedoria do homem, a mais importante é aquela que faz com que o homem não se apóie em si mesmo. Não te estribes em tua prudência, recomenda o livro dos Provérbios (3, 5). Com efeito, os que confiam em seu próprio julgamento, a ponto de não se fiarem senão em si mesmos e não nos outros, são considerados como insensatos, e verdadeiramente o são. Declara o livro dos Provérbios (26, 12): Mais se deve esperar de um ignorante do que de um homem que é sábio a seus próprios olhos.

Um homem não confia em seu próprio julgamento se é humilde, pois, ensinam os Provérbios (11, 2): onde há humildade, aí há igualmente sabedoria. Os orgulhosos ao contrário, põem em si toda confiança.

Assim sendo, o Espírito Santo nos ensina, pelo dom de Ciência, a não fazer a nossa vontade, mas a vontade de Deus. E também quando pedimos a Deus, que Sua vontade se faça no céu, como na terra, manifesta-se O dom de Ciência.

Quando dizemos a Deus: Seja feita a vossa vontade, é como se fôssemos doentes que aceitam o remédio amargo, prescrito pelo médico. O doente não quer tal remédio, mas aceita a vontade do médico, do contrário, seguindo só sua vontade, seria um insensato. Da mesma maneira, não devemos pedir a Deus nada além do Seu querer, isto é, a realização de Sua vontade em nós.

O coração do homem é reto, quando está de acordo com a vontade divina, assim como fez o Cristo (Jo 6, 38): Desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade d’ Aquele que me enviou.

Cristo, enquanto Deus, tem uma só vontade com o Pai, mas enquanto homem tem sua vontade distinta da vontade do Pai. Foi falando desta vontade que declarou: não faço a minha vontade, mas a de meu Pai. E por isso nos ensinou a rezar e a pedir: «seja feita a vossa vontade».

Mas qual é a razão de ser desta oração: «Seja feita a vossa vontade?»

Não se diz a Deus, no Salmo (135,6): Tudo quanto quis, fez? Se Deus faz tudo que quer no céu e na terra, porque diz Jesus: Seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu?

Para compreender a causa deste pedido é preciso saber que Deus quer para nós três coisas que realizamos nesta oração.

a) Em primeiro lugar, Deus quer que Continuar lendo

Anúncios

A vida

Um dia, perguntaram um monge muito sábio: “Escuta, o que é que vocês fazem lá no mosteiro? O que é que vocês fazem lá dentro? ” O monge então coçou a barba e disse assim: ” Lá dentro, lá, a gente cai, levanta, cai, levanta, cai, levan- ta, até o dia em que Nosso Senhor voltar. E quando Ele voltar, Ele vai ver que nós caímos e estamos acabando de levantar. E vai nos levantar definitivamen- te.”

Na vida, a cada cair e levantar, compreendemos melhor o Amor de Deus. Nossa, como em minha vida, Deus através de sua Graça em mim, não deixou que caísse em tentação. Agradeço muitíssimo ao Senhor. As pessoas acham que nós cristão somos perfeitos e que não erramos…engano! A diferença é que nós odiamos o pecado e lutamos sempre contra ele. E quando caímos por um certo motivo, pe- la Graça de Deus, não mais caímos por esse mesmo motivo. Somos tentados a fazer o errado a todo momento, mas a cada queda que sofremos, quando levan- tamos, a Graça de Deus cresce em nós, e daí passamos a viver mais e mais segun- do a vontade de Deus, segundo seu Amor. E com total certeza, perseverando ve- remos que as quedas diminuirão.

Faço minhas as palavras do padre Paulo Ricardo:

Nós precisamos fazer uma reflexão a respeito da felicidade, o que é a felicidade? Todos os seres humanos. Marcados pelo pecado origi- nal, tem sempre um canto de sereia. É. Sim, trata-se de uma tenta- ção, uma tentação perversa, demoníaca, que diz assim: seja feliz. Procure a felicidade aqui na terra. É buscando esta felicidade que o alcoólatra se embriaga, que o drogado se entorpece, que a prostituta se destrói, que o adúltero acaba com a sua família, que o homosse- xual mendiga afeto, de relação em relação. É buscando essa felicida- de que nós vivemos uma vida de tantas desventuras nessa terra. No entanto, Nosso Senhor não prometeu felicidade pra ninguém aqui. Ele prometeu sim, felicidade no céu. Ele disse: Eu vou prepararvos um lugar. Na casa do Meu Pai há muitas moradas. Na casa do Pai, existem muitas moradas porque diversas são as cruzes que cada um tem que carregar. Haverá uma morada para você também. Deixa eu dizer pra você, existe um lugar no céu com o teu nome escrito. E eu gostaria que esse lugar não ficasse vazio. Que você chegasse lá, meu filho. Eu gostaria que você chegasse lá. Por isso, vamos nos ajudar mutuamente. Você reza por mim, eu rezo por você. Eu vou caindo por aqui, você cai por aí. Quedas diferentes, é verdade. Mas é atra- vés do cair e levantar-se que nós um dia chegaremos no céu.