Arquivo da tag: minha vontade

Conversando com o Senhor – PARTE 2

Do bom governo nas coisas exteriores,
e como devemos recorrer a Deus nos perigos

SENHOR: Filho, com diligência deves procurar que em todo o lugar, ação ou ocupação exterior estejas interiormente livre e senhor de ti, e que estejam todas as coisas sujeitas a ti, e não tu a elas; que sejas tu senhor das tuas ações, e não servo e escravo comprado.

Com livre e verdadeiro hebreu, deves passar à sorte e liberdade de filhos de Deus, que desprezam as coisas presentes, contemplam as eternas, e vêem com o olho esquerdo as coisas do mundo, e com o direito as do Céu.

Estes não se deixam arrastar do apego às coisas temporais; mas servem-se delas conforme o fim para que foram ordenadas por Deus, e instituídas pelo supremo Artífice, que nada deixou sem ordem na sua criatura.

Se em todo o sucesso te não fundares na aparência exterior, nem considerares só com os olhos carnais o que vires e ouvires, mas em qualquer negócio entrares logo, com o Moisés no Tabernáculo, para pedires conselho ao Senhor, ouvirás muitas vezes a resposta divina, e voltarás instruído a respeito de muitas coisas presentes e futuras.

Sempre Moisés recorria ao Tabernáculo, para sair-se ds dúvidas e dificuldade, e valia-se da oração para triunfar dos perigos e maldades dos homens; assim tu deves retirar-te ao secreto do teu coração, pedindo com instância ao socorro divino.

Por isso Josué e os filhos de Israel foram enganados pelos Gaboanitas (cf. Js 9) porque não consultaram primeiro o Senhor; mas crendo muito de leve suas brandas palavras foram enganados por uma falsa piedade.

Fonte: Livro Imitação de Cristo.

Perseverai em oração,velando nela com ação de graças;
Tratai com sabedoria os que não são da comunidade,
aproveitando bem o momento.
Que vossa conversa seja sempre agradável, com uma pitada de sal,
de modo que saibais responder a cada um como convém.”
(Colossenses 4:2, 5-6)

Conversando com o Senhor – PARTE 1

Da pura e inteira renuncia de si mesmo,
para alcançar a liberdade de espírito

SENHOR: Filho, deixa-te a ti e achar-me-ás a mim. Está sem escolha e propriedade, e sempre ganharás, porque se te acrescenterá maior graça logo que te resignes e perseveres com firmeza.

DISCÍPULO: Senhor, quantas vezes me resignarei e em que coisas me deixarei a mim?

SENHOR: Sempre e a toda a hora; tanto no pouco como no muito; nenhuma coisa excetuo, mas em todas te quero achar resignado. Como poderás ser meu e eu ser teu se não estiveres despojado de toda a própria vontade, interior e exteriormente?

Quanto mais depressa isto fizeres, tanto melhor te irá; e quanto mais pura e inteiramente, tanto mais me agradarás e muito mais granjearás.

Alguns há que se resignam, mas com alguma exceção, porque não confiam perfeitamente em mim; e por isso têm muito cuidado de si mesmos.

Outros ao princípio tudo oferecem; mas em os combatendo a tentação tornaram-se as suas comodidades, e por isso de nenhum modo aproveitam na virtude.

Estes nunca chegarão à verdadeira liberdade do coração puro nem lograrão a graça da minha suave familiaridade, se se não resignarem de todo, e fizerem primeiro um quotidiano sacrifício de si mesmo, sem o que não permanece, nem permanecerá a união, com quem se goza de mim.

Muitas vezes te hei dito e agora te torno a dizer: deixa-te, resigna-te e lograrás grande paz interior.

Da tudo por tudo, não busqueis coisa alguma, nem a tornes a pedir.

Está pura e firmemente em mim sem hesitar, e possuir-me-ás e serás livre no coração, e não te escurecerão as trevas.

A isto te aplica, isto pede, isto deseja, para que te possas despojar de toda a propriedade, e seguir nu a Jesus nu: morrer para ti e viver para mim por toda a eternidade.

Então se dissiparão todas as vãs imaginações, pertubações e cuidados supérfluos.

Então se acabará também o temor demasiado, e o amor desordenado morrerá.

Fonte: Livro Imitação de Cristo.

Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo,
e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.”
(Lucas 9:23)

Seja feita a Vossa Vontade assim na terra como no Céu

O Espírito Santo produz em vós um terceiro dom, chamado dom de Ciência.

O Espírito Santo não produz nos bons somente o dom do Temor e o dom da Piedade que, como vimos no post anterior do Pai Nosso, é um amor delicado por Deus. O Espírito Santo torna o homem sábio.

Davi pedia o dom da ciência no Salmo (119, 66), dizendo: Ensinai-me a bondade, a doutrina e a ciência. E é esta ciência do bem viver, que nos ensina o Espírito Santo.

Entre as disposições que contribuem para a ciência e a sabedoria do homem, a mais importante é aquela que faz com que o homem não se apóie em si mesmo. Não te estribes em tua prudência, recomenda o livro dos Provérbios (3, 5). Com efeito, os que confiam em seu próprio julgamento, a ponto de não se fiarem senão em si mesmos e não nos outros, são considerados como insensatos, e verdadeiramente o são. Declara o livro dos Provérbios (26, 12): Mais se deve esperar de um ignorante do que de um homem que é sábio a seus próprios olhos.

Um homem não confia em seu próprio julgamento se é humilde, pois, ensinam os Provérbios (11, 2): onde há humildade, aí há igualmente sabedoria. Os orgulhosos ao contrário, põem em si toda confiança.

Assim sendo, o Espírito Santo nos ensina, pelo dom de Ciência, a não fazer a nossa vontade, mas a vontade de Deus. E também quando pedimos a Deus, que Sua vontade se faça no céu, como na terra, manifesta-se O dom de Ciência.

Quando dizemos a Deus: Seja feita a vossa vontade, é como se fôssemos doentes que aceitam o remédio amargo, prescrito pelo médico. O doente não quer tal remédio, mas aceita a vontade do médico, do contrário, seguindo só sua vontade, seria um insensato. Da mesma maneira, não devemos pedir a Deus nada além do Seu querer, isto é, a realização de Sua vontade em nós.

O coração do homem é reto, quando está de acordo com a vontade divina, assim como fez o Cristo (Jo 6, 38): Desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade d’ Aquele que me enviou.

Cristo, enquanto Deus, tem uma só vontade com o Pai, mas enquanto homem tem sua vontade distinta da vontade do Pai. Foi falando desta vontade que declarou: não faço a minha vontade, mas a de meu Pai. E por isso nos ensinou a rezar e a pedir: «seja feita a vossa vontade».

Mas qual é a razão de ser desta oração: «Seja feita a vossa vontade?»

Não se diz a Deus, no Salmo (135,6): Tudo quanto quis, fez? Se Deus faz tudo que quer no céu e na terra, porque diz Jesus: Seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu?

Para compreender a causa deste pedido é preciso saber que Deus quer para nós três coisas que realizamos nesta oração.

a) Em primeiro lugar, Deus quer que Continuar lendo

A vontade de Deus

Observando  o que Jesus nos diz em (Marcos 3:35):

qualquer que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão,
e minha irmã, e minha mãe” ,

São Paulo nos alerta em (Efésios 5:17) :

não sejais insensatos, mas entendei qual seja
a vontade do Senhor
.” ,

e também (Mateus 7:21) :

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai,
que está nos céus
”  ,

concluímos que é de suma importância em nossa vida, sabermos qual é a vontade de Deus, para assim imitarmos a Jesus:

Porque eu desci do céu, não para fazer a minha vontade,
mas a vontade daquele que me enviou
.”
(João 6:38)

E no versículo seguinte é esclarecida essa vontade:

E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia.” (João 6:39)

Assim como em (1 Tessalonicenses 4:3-7 ):

Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição; Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra; Não na paixão da concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus. Ninguém oprima ou engane a seu irmão em negócio algum, porque o Senhor é vingador de todas estas coisas, como também antes vo-lo dissemos e testificamos. Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação.”

E seguindo a Sua vontade somos livres:

Porque assim é a vontade de Deus, que, fazendo bem, tapeis a boca à ignorância dos homens insensatos; Como livres, e não tendo a liberdade por cobertura da malícia, mas como servos de Deus.”
(1 Pedro 2:15-16)

E Deus ouve exatamente a quem segue a Sua vontade:

Ora, nós sabemos que Deus não ouve a pecadores; mas,
se alguém é temente a Deus, e faz a sua vontade, a esse ouve
.”
(João 9:31)

E nós, como buscamos a santidade, pensamos exatamente como Santo Afonso de Ligório:

Fazer o que Deus quer e querer o que Deus faz.”

E de todo o coração o façamos…

Não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus;
(Efésios 6:6)

Mas como fazer para conhecer a vontade de Deus? São Paulo nos diz em Efésios:

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestes em Cristo; como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e nos predestinou para sermos filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito (consentimento) de sua vontade, para o louvor da glória da sua graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado; em quem temos a redenção pelo seu sangue, a redenção dos nossos delitos, segundo as riquezas da sua graça, que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência, fazendo-nos conhecer o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que nele propôs para a dispensação da plenitude dos tempos, de fazer convergir em Cristo todas as coisas, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra, nele, digo, no qual também fomos feitos herança, havendo sido predestinados conforme o propósito daquele que faz todas as coisas segundo o conselho da sua vontade, com o fim de sermos para o louvor da sua glória, nós, os que antes havíamos esperado em Cristo; no qual também vós, tendo ouvido a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, e tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa, o qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão de Deus, para o louvor da sua glória.
(Efésios 1:3-14)

E para nos mantermos na direção certa, temos as…

…orações, para que vos conserveis firmes, perfeitos e consumados em toda a vontade de Deus.”
(Colossenses 4:12)

E para quem padece segundo a vontade de Deus:

“…os que padecem segundo a vontade de Deus encomendem-lhe as suas almas, como ao fiel Criador, fazendo o bem.”
(1Pedro 4:19)

E confiantes estamos de que…

“…se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade,
ele nos ouve.

(1 João 5:14)

E que devemos operar a nossa Salvação com temor e tremor…

Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.”
(Filipenses 2:13)

Mas se, seguindo a vontade de Deus, cairmos no caminho, então precisamos lembrar da seguinte passagem:

E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar. Acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim. E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo.
(2 Coríntios 12:7-9)

E por fim, para quem à vida mundana se acomoda, São Paulo adverte:

“…não sede conformados com este mundo,
mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável,
e perfeita vontade de Deus
.”
(Romanos 12:2)

Oremos (Hebreus 13:20-21):

Oh Deus de paz, que pelo sangue da aliança eterna tornou a trazer dos mortos a nosso Senhor Jesus Cristo, grande pastor das ovelhas,
nos aperfeiçoe em toda a boa obra, para fazermos a sua vontade,
operando em nós o que perante ele é agradável por Cristo Jesus,
ao qual seja glória para todo o sempre.
Amém!