Arquivo da tag: Padre Paulo Ricardo

Juntos com Padre Paulo Ricardo

Na semana passada foi escrita uma carta aberta por alguns padres da arquidiocese de Cuibá e arredores declarando o querido Padre Paulo Ricardo de Azevedo Junior  como sendo “um homem amargurado, fatigado, raivoso, compulsivo, profundamente infeliz e transtornado” e que ele “desfere publicamente e através dos diversos meios de comunicação contra sacerdotes e bispos empenhados plenamente na construção do Reino de Deus”.  Será mesmo que TODOS os padres estão preocupados com a construção do Reino de Deus? A única passagem que vem a minha cabeça é a seguinte:

Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar aos que
estão entrando
.”
(Mt 23:13)

Se os padres que escreveram a carta estivessem mesmo preocupados em pregar o Reino de Deus lembrariam que “O reino de Deus é assim como se um homem lançasse semente à terra” (Marcos 4:26). Padre Paulo semeiou e semeia a Palavra, em muita boa terra que dão hoje muitos frutos. Ele nos mostrou o verdadeiro caminho para a verdadeira felicidade. Nos mostrou que alcançamos a Graça de Deus quando carregamos cada um a sua cruz com fé, esperança e caridade. E eles dizem que “Padre Paulo não esta no bom caminho”?

Se esses padres realmente estivessem preocupados, buscando a Verdade, e querendo proclamar o Evangelho, eles procurariam fazer algo similar ao que o nosso querido Padre Paulo faz: levar a Palavra de Deus ao máximo de pessoas possível seguindo as orientações do Reverendíssimo Papa Bento XVI. Mas não, estão preocupados com pequenas coisas ditas pelo Padre Paulo, como comportamento e modo de se vestir de alguns padres. Agora não falam nada sobre a Verdadeira Palavra de Deus por ele proclamada. Isso mostra como são realmente “mundializados”.  A única preocupação que um sacerdote de Deus, discípulo de Jesus, tem que estar preocupado é dito pelas palavras de Jesus:

Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder
para todo o sempre.”
(1Pedro 4:11)

Não precisava o Padre Paulo falar, para que soubessemos que existem muitos padres como na Igreja de Laodisseia (leia o post abaixo), tomados de tibieza e preocupados na glória de si próprios.  Fico chocada em ver muitos padres, entre eles cantores, que em suas palavras não é proclamado, em momento algum, que Jesus Cristo é nosso Salvador, e que é o único Caminho, fonte da Vida e a própria Verdade. Mas, ao invés disso, lançam palavras para “subir” a auto-estima dos que ouvem, com medo de desagradarem o mundo.

Vós, servos, obedecei em tudo a vossos senhores segundo a carne, não servindo só na aparência, como para agradar aos homens, mas em simplicidade de coração, temendo a Deus. E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens, sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis.”
(Colossenses 3:22-24)

E sabemos muuito bem, como é a política no Brasil, principalmente Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Uns poucos tem o poder, como no caso do Centro-Oeste é clarrísima a força dos grandes agricultores, que hoje estão apoiados pela nossa presidenta, que muito investe no setor agropecuário. Então já era de se imaginar que surgiria uma indisposição por parte de alguns em Mato Grosso com relação as verdades claríssimas ditas pelo Padre Paulo Ricardo. Devido a essa politicagem medíocre que o Brasil tem fama no exterior de “país nada sério”.

Com certeza, passar por tudo isso vai servir ao Padre Paulo lembrar das palavras de São Paulo:

A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo.”
(2 Coríntios 12:9)

e também:

 “…todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus
padecerão perseguições.”
(2Tm 3:12)

Estou contigo Padre Paulo Ricardo!

Nós, filhos espirituais do Pe. Paulo Ricardo, simpatizantes do seu trabalho e todo o povo católico não podemos concordar que isso aconteça. Seria uma perda INCOMENSURÁVEL para a Igreja no Brasil, e uma INJUSTIÇA medonha contra o Pe. Paulo Ricardo.

Por isso, com essa Petição Online:

http://www.peticoesonline.com/peticao/em-apoio-ao-pe-paulo-ricardo-de-azevedo-junior/395

desejamos manifestar a Dom Milton, e a toda a CNBB, nosso apoio total e irrestrito ao Pe. Paulo Ricardo e ao seu benéfico trabalho de salvação de almas!

(Caso não o conheça ainda e seu maravilhoso trabalho, acesse Christo Nihil Praeponere.)

Anúncios

O inferno existe!

No Resposta Católica desta semana no Site do Padre Paulo Ricardo foi apresentada a resposta referente a seguinte pergunta: “Não é Deus excessivamente severo ao condenar o homem?”. Inicialmente mostro o texto e o vídeo elaborado pelo Padre Paulo, e em seguida, um ótimo comentário escrito por Anderson no site, com relação ao mesmo assunto.

 

Por definição, o Inferno é um “estado de auto-exclusão definitiva da comunhão com Deus e com os bem-aventurados” (CIC 1033). Ora, a palavra auto-exclusão não deixa margem para qualquer dúvida: não é Deus quem condena o homem, mas o próprio homem. Mas, como isso ocorre? Para se compreender como o próprio homem pode renegar a comunhão com Deus é preciso entender que ele é totalmente, tragicamente livre. Tão livre que pode, no instante final, virar as costas para Deus.

Deus respeita a liberdade humana, como respeitou a liberdade dos anjos quando, liderados por Lúcifer disseram: “Não serviremos”. Tanto para eles quanto para os homens existe um caráter de irrevogabilidade nessa decisão, que é selada no momento último. Assim diz o Catecismo: “não existe arrependimento para eles (os anjos) depois da queda, como não existe para os homens após a morte” (392). Portanto, é o homem, no momento final, quem decide de que lado ficará e não Deus que o condena.

Enquanto o homem caminha sobre a Terra, tem todos os meios e as oportunidades para permanecer em comunhão com Deus. Ele próprio deixou um caminho seguro, claro, que são os Sacramentos, as Sagradas Escrituras, os Mandamentos e tantas outras vias. Deus oferece sua graça e seu amor infinito, porém, é o homem quem decide se aceita permanecer nesse amor e entrar em comunhão eterna com Ele ou se prefere permanecer com o coração endurecido, rejeitando por soberba e orgulho a mão estendida do Senhor.

Comentário: Acho interessante caro padre, que ninguém se choca diante da afirmação: “a pessoa humana é livre!” ao contrário todos fazem questão de defender a liberdade humana. Pois bem, dizer: “há a possibilidade de eu ir ao inferno”, é a afirmação mais suprema (e dramática até) da liberdade humana! Na verdade uma liberdade que deixa de ser liberdade, no momento que escolhe contra Deus e contra o bem, torna-se escrava. Mas somos “livres” para escolher de não sermos livres, de sermos escravos. Dizer “inferno” é dizer do imenso respeito de Deus por nossa capacidade de fazer escolhas, é afirmar a delicadeza divina que não nos impõe nada.

João Paulo II lamentou o quanto os pregadores atuais, perderam a coragem responsável de “ameaçar com o inferno“, ou seja, de lembrar-nos do quanto somos responsáveis perante nossas escolhas e suas consequência; de quanto é dramática e adulta a questão: “a quem você quer servir, afinal?”.

Não é justo fazermos escolhas erradas na vida e depois botar a culpa em Deus, dizendo que ele nos condenou, quando na verdade a escolha foi nossa. E é infantil revoltar-se contra a estrutura natural da realidade. Seria como um menino bobão que dissesse: “quero enfiar minha mão no fogo, mas não quero me queimar” ou “vou jogar essa taça de vidro para o alto, mas não vou pegá-la, mamãe virá em meu socorro, para impedir a consequência óbvia do meu gesto irresponsável, agarrando a taça antes que ela atinja o chão”. Nossa natureza (decaída) é tal que tendemos mesmo à isso. De fato, a principio, muitas vezes não há mesmo intenção perversa da nossa parte de ofender a Nosso Senhor. Mas ai de nós, se não nos abrirmos ao trabalho da graça divina em nós, ao poder libertador do Espírito Santo, através da disciplina espiritual (ascese). Caminharemos sim, sem dúvida para Continuar lendo

Consagra-te a Virgem Maria !

Apareceu no céu um Grande Sinal: uma Mulher Vestida de Sol,
a lua debaixo dos Seus Pés, e na Cabeça, uma coroa de Doze Estrelas. (…)
Foi então precipitado o grande Dragão, a Primitiva Serpente,
chamado Demônio ou Satanás, o sedutor do mundo inteiro
.”
(Ap 12, 1; 9)

Quem é Essa que surge como a aurora, Bela como a lua, Brilhante como sol, Temível como um exército em ordem de batalha?
(Ct 6, 10)

Deus quer estabelecer no mundo a Devoção ao Meu Coração Imaculado. Se fizerdes o que vos digo, muitos almas se salvarão e terão paz. (…)
Por fim, o Meu Imaculado Coração Triunfará
.”
(Nossa Mãe Santíssima em Fátima, 1917)

Por Maria Jesus Cristo vem a nós, e por Ela devemos ir a Ele.”
(São Luís Maria Montfort)

Neste mês de novembro começará a II Campa- nha Nacional de Consagrações à Nossa Mãe Santíssima onde cada um de nós poderá fazer sua Consagração Total à Virgem Maria, pelo método que São Luís Maria Montfort nos ensinou pelo seu maravilhoso “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem”.

Este foi o livro de cabeceira de nosso querido Bem-Aventurado João Paulo II, que sob o lema “Totus Tuus” (“Todo Teu”, Todo de Maria…), tão bem viveu e testemunhou esta Consagração!

A abertura da II Campanha Nacional de Consagrações se deu no dia 26 de Junho, no encontro “Consagra-te” em Várzea Grande-MT (ao lado de Cuiabá). Havia mais de 1000 pessoas presentes, e o evento contou com a pregação do Pe. Paulo Ricardo.

Para os que ainda não tiveram a graça de assistir, as 3 palestras do evento e a ultima aula (de quatro delas) dada pelo Padre Paulo Ricardo nesta semana sobre o assunto, estão disponíveis abaixo:

Convidamos, então, todos os católicos a se unirem conosco nesta Campanha, fazendo também a sua Consagração Total pelo método de São Luís Montfort, ou renovando a Sua Consagração, no dia 08 de Dezembro de 2011 (Solenidade da Imaculada Conceição).

A preparação e a Consagração poderão ser feitas em qualquer lugar, já que é um ato interior e espiritual.

São Luís Montfort recomenda que se faça 30 dias de preparação, com algumas orações simples, que poderão ser feitas individualmente ou em grupo, a começar então no dia 08 de Novembro de 2011 (elas são indicadas no próprio “Tratado” (n. 227, 233), e estaremos indicando via internet também (são 30 dias, se contarmos as 3 semanas de São Luís Montfort como “6 dias”, mas 33 dias se contarmos como “7 dias”; aqui seguiremos o planejamento dos 30 dias, pois muitos estarão se preparando conforme o livro de preparação editado pela Arca de Maria que segue o método dos 30 dias).

Duas recomendações importantes

Primeira Recomendação

De forma geral, recomenda-se que NÃO se Consagre, e NEM MESMO que se inicie os 30 dias de preparação sem a leitura completa do “Tratado”, pois como poderá preparar-se bem para a Consagração, sem a conhecê-la bem? Além do mais, a Consagração é feita uma vez na vida, e portanto, é importante que se faça com esta preparação.

Até porque a Consagração poderá ser feita em outro momento mais adiante, após a leitura do livro. Provavelmente serão organizadas outras Campanhas para a Consagração em grupos em outras datas; e a Consagração também pode ser feita de forma individual, em uma data a livre escolha da pessoa.

Para quem ainda não tem o “Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem”, ele poderá ser adquirido através dos links abaixo em versão PDF ou em versão impressa; os que desejarem, poderão também baixar as orações para os 30 dias de preparação (08 de Novembro a 08 de Dezembro).

Segunda Recomendação

Recomenda-se que aqueles que puderem, participem de um grupo de preparação para a Consagração, que se reúna para estudar o “Tratado” e rezar juntos.

Este grupo poderá ser formado espontaneamente, por iniciativa de pessoas que desejam se consagrar, ou pessoas que já se consagraram e desejam ajudar a preparar outras para se consagrar (é importante a participação dos que já se consagraram no grupo, pelo seu testemunho a ser partilhado).

Também no mês de Outubro de 2011 o Pe. Paulo Ricardo esteve, em seu programa semanal ao vivo no site padrepauloricardo.org, todas as terças-feiras, explicando o Tratado parte por parte.

Para mais informações entre no site Consagra-te .

Siga-Me!

Segue abaixo, o comentário maravilhoso apresentado hoje pelo Evangelho Cotidiano, que foi escrito pelo monge e bispo São Cesário de Arles (470-543); e também a espetacular homilia dada pelo Padre Paulo Ricardo. Os dois sendo referentes a seguinte Palavra:

A partir desse momento, Jesus Cristo começou a fazer ver aos seus discípulos que tinha de ir a Jerusalém e sofrer muito, da parte dos anciãos, dos sumos sacerdotes e dos doutores da Lei, ser morto e, ao terceiro dia, ressusci- tar. Tomando-o de parte, Pedro começou a repreendê-lo, dizen- do: «Deus te livre, Senhor! Isso nunca te há-de acontecer!» Ele, porém, voltando-se, disse a Pedro: «Afasta-te, Satanás! Tu és para mim um estorvo, porque os teus pen- samentos não são os de Deus, mas os dos homens!». Jesus disse, então, aos dis- cípulos: «Se alguém quiser vir comigo, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; mas, quem perder a sua vida por minha causa, há-de encontrá-la. Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua vida? Ou que poderá dar o homem em troca da sua vida? Porque o Filho do Homem há-de vir na glória de seu Pai, com os seus anjos, e então retribuirá a cada um conforme o seu procedimento.”
( Mateus 16, 21-27)

Ao pecar, o homem enchera o seu caminho de obstáculos, mas este ficou facili- tado quando Cristo o pisou com a Sua ressurreição e transformou um carreiro estreito numa avenida digna de um rei. A humildade e a caridade são os dois pés que permitem percorrê-la rapidamente. Todos são atraídos para as alturas da caridade, mas a humildade é o primeiro degrau que é preciso subir. Porque le- vantas o pé acima de ti? Afinal queres subir ou queres cair? Começa pelo pri- meiro degrau, ou seja, pela humildade, e ele te permitirá subir.

Eis porque o nosso Senhor e Salvador não Se limitou a dizer: «Renuncie a si mesmo», mas antes acrescentou: «Tome a sua cruz e siga-Me». Que significa: tome a sua cruz? Suporte tudo o que lhe é penoso, pois é assim que caminhará atrás de Mim. Assim que tiver começado a seguir-Me, adaptando-se à Minha vida e aos Meus mandamentos, encontrará no seu caminho muitas pessoas que o contradirão, que procurarão desviá-lo, que não apenas troçarão dele mas o perseguirão. Essas pessoas não se encontram somente entre os pagãos que es- tão fora da Igreja; encontram-se até entre os que, vistos do exterior, parecem estar na Igreja. […]

Portanto, se desejas seguir Cristo, toma a tua cruz sem mais demora e suporta os maus sem te deixares abater. […] «Se alguém quiser vir Comigo, tome a sua cruz e siga-Me.» Se quisermos pôr isto em prática, esforcemo-nos, com a ajuda de Deus, por fazer nossas estas palavras do apóstolo Paulo: «Se tivermos de que nos alimentar e vestir, contentemo-nos com isso». Há o perigo de, ao procurar- mos mais bens terrestres do que aqueles de que precisamos, «querendo enri- quecer», virmos a «cair na armadilha da tentação, numa quantidade de dese- jos absurdos e perigosos, que precipitam as pessoas na ruína e na perdição» (1Tm 6,8-9). Que o Senhor Se digne tomar-nos sob a Sua protecção e livrar-nos desta tentação.

Homilia do Padre Paulo Ricardo:

Como perseguem a Igreja Católica

Este mês aconteceu em Madrid (Espanha) a Jornada Mundial da Juventude 2011 (JMJ) com o seguinte tema  escolhido por BENTO XVI: “Enraizados e Edificados em Cristo, firmes na fé ” (Col 2,7). Este evento tem o objeti- vo prioritário de dar a conhecer a todos os jovens do mundo a mensagem de Cristo. É uma iniciativa evangelizadora da Igreja, com uma grande dimensão ecumênica. Infelizmente, quase toda a mídia mundial, principalmente a  euro- péia, manipulou grosseiramente as notícias diárias da JMJ tentando persuadir às pessoas, em particular as não católicas, a acreditarem que a Igreja Católica é “atrasada”, que é homofóbica e muitas outras mentiras. Fiquei impressionada com taaanta mentira apresentada pelos grandes canais de TV (como TF1 francesa)  e jornais (como o Le Monde).

Esclarecendo essa ação das grandes mídias contra a Igreja, e apresentado as verdades referentes a JMJ, apresento abaixo o vídeo do Parresia dessa semana do abençoado Padre Paulo Ricardo:

Sexo antes do casamento

No vídeo abaixo, o iluminado Padre Paulo Ricardo nos esclarece o porquê da castidade, como é possível mantê-la e como, em geral, nós cristãos fazemos para fugir do pecado.

Para viver a castidade é preciso que o cristão creia que é possível odiar o pecado e buscar a santidade.

A relação sexual fora do matrimônio é uma mentira, pois existe uma contraposição entre o que o corpo expressa e o que a alma experimenta: o corpo insinua uma entrega total; a alma revela a falta de compromisso entre as partes.

Aceitar que é possível, com a ajuda de Deus, sair do pecado e viver da miseri- córdia é o caminho para o cristão ser vencedor: não fazer do pecado um projeto de vida, eis o caminho para se aproximar da comunhão.

Odeie o seu pecado com seu coração e
viva da  misericórdia de Deus!

Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto.
(Salmo 51: 10)

Qual o valor da oração?

Todos nós já nos questionamos, em algum momento, o seguinte: Será que minha oração vai ter algum efeito? Será que ajudo na conversão do meu irmão quando oro por ele?

Respondendo a isso e muito mais, o abençoado Padre Paulo Ricardo apresenta o vídeo abaixo:

Eu sei, pela fé, que quando eu oro e a minha vontade se torna mais próxima da vontade de Deus, eu sei pela fé, que isso afeta o meu irmão cuja vontade está distante …