Arquivo da tag: vida

A vida

Um dia, perguntaram um monge muito sábio: “Escuta, o que é que vocês fazem lá no mosteiro? O que é que vocês fazem lá dentro? ” O monge então coçou a barba e disse assim: ” Lá dentro, lá, a gente cai, levanta, cai, levanta, cai, levan- ta, até o dia em que Nosso Senhor voltar. E quando Ele voltar, Ele vai ver que nós caímos e estamos acabando de levantar. E vai nos levantar definitivamen- te.”

Na vida, a cada cair e levantar, compreendemos melhor o Amor de Deus. Nossa, como em minha vida, Deus através de sua Graça em mim, não deixou que caísse em tentação. Agradeço muitíssimo ao Senhor. As pessoas acham que nós cristão somos perfeitos e que não erramos…engano! A diferença é que nós odiamos o pecado e lutamos sempre contra ele. E quando caímos por um certo motivo, pe- la Graça de Deus, não mais caímos por esse mesmo motivo. Somos tentados a fazer o errado a todo momento, mas a cada queda que sofremos, quando levan- tamos, a Graça de Deus cresce em nós, e daí passamos a viver mais e mais segun- do a vontade de Deus, segundo seu Amor. E com total certeza, perseverando ve- remos que as quedas diminuirão.

Faço minhas as palavras do padre Paulo Ricardo:

Nós precisamos fazer uma reflexão a respeito da felicidade, o que é a felicidade? Todos os seres humanos. Marcados pelo pecado origi- nal, tem sempre um canto de sereia. É. Sim, trata-se de uma tenta- ção, uma tentação perversa, demoníaca, que diz assim: seja feliz. Procure a felicidade aqui na terra. É buscando esta felicidade que o alcoólatra se embriaga, que o drogado se entorpece, que a prostituta se destrói, que o adúltero acaba com a sua família, que o homosse- xual mendiga afeto, de relação em relação. É buscando essa felicida- de que nós vivemos uma vida de tantas desventuras nessa terra. No entanto, Nosso Senhor não prometeu felicidade pra ninguém aqui. Ele prometeu sim, felicidade no céu. Ele disse: Eu vou prepararvos um lugar. Na casa do Meu Pai há muitas moradas. Na casa do Pai, existem muitas moradas porque diversas são as cruzes que cada um tem que carregar. Haverá uma morada para você também. Deixa eu dizer pra você, existe um lugar no céu com o teu nome escrito. E eu gostaria que esse lugar não ficasse vazio. Que você chegasse lá, meu filho. Eu gostaria que você chegasse lá. Por isso, vamos nos ajudar mutuamente. Você reza por mim, eu rezo por você. Eu vou caindo por aqui, você cai por aí. Quedas diferentes, é verdade. Mas é atra- vés do cair e levantar-se que nós um dia chegaremos no céu.

Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida

O Evangelho de hoje é sensacional ! Lendo ele, dentro de mim, sinto uma alegria enorme , e com o sensacional comentário de São Boaventura…fico sem palavras! Nosso Deus é um deus maravilhoso, que muuuito nos ama!

Quando Santo Agostinho questionou Santo Ambrósio: “Como encontrar a ver- dade em um homem?” A resposta de Santo Ambrósio foi: “Nenhuma pessoa encontra a verdade, mas é a verdade que encontra a pessoa; e a verdade é o encontro com Deus. E isso só é possível por Jesus!”.

Evangelho de hoje:

“Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus; crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fosse, como teria dito Eu que vos vou preparar um lugar? E quando Eu tiver ido e vos tiver preparado lugar, virei novamente e hei-de levar-vos para junto de mim, a fim de que, onde Eu estou, vós estejais também. E, para onde Eu vou, vós sabeis o caminho.» Disse-lhe Tomé: «Senhor, não sabemos para onde vais, como podemos nós saber o caminho?» Jesus respondeu-lhe: «Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém pode ir até ao Pai senão por mim.”

(João 14:1-6)

Comentário ao Evangelho do dia feito por  São Boaventura (1221-1274), franciscano, doutor da Igreja (Itinerário da mente para Deus, VII, 1-2, 4, 6 ):

Aquele que volta propositada e completamente os olhos para Cristo ao vê-Lo pregado na cruz, com fé, esperança e caridade, devoção, admiração, regozijo, reconhecimento, elogio e júbilo, esse celebra a Páscoa com Ele, ou seja, põe-se a caminho para atravessar o Mar Vermelho graças à bengala da cruz (cf Ex 14,16). Ao deixar o Egipto, entra no deserto para aí provar o «maná escondido» (Ap 2, 17) e repousar com Cristo no túmulo, exteriormente como morto, mas experi- mentando – na medida em que os seus progressos lho permitem – o que foi dito na cruz ao malfeitor companheiro de Cristo: «Hoje mesmo estarás comigo no Paraíso» (Lc 23,43). […]

Nesta travessia, se queremos ser perfeitos, importa abandonar toda a especula- ção intelectual. Qualquer ponta de desejo deve ser transportada e transformada em Deus. Eis o segredo dos segredos, que «ninguém conhece excepto aquele que o recebe» (Ap 2,17). […] Se procuras saber como é que isto se produz, interroga a graça e não o saber, a tua aspiração profunda e não o teu intelecto, o gemido da tua prece e não a tua paixão pela leitura. Interroga o Esposo e não o professor, Deus e não o homem.

…negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me!


E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim.”
(Mateus 10:38)

Momentos difíceis todos nós enfrentamos, mas, tendo a Cristo como alicerce, permanecemos firmes, superamos e seremos pessoas realizadas.

E chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me.”
(Marcos 8:34)

Qualquer pessoa que queira ser bem-sucedida tem de seguir o exemplo de al- guém. Por isso, se a sua decisão for seguir a Cristo, saiba que primeiro terá que negar-se a si mesmo, isto no sentido de não fazer a própria vontade, mas sim a de Deus: Seja feita a Tua vontade, assim na terra como no céu. Enfim, a minha vontade até pode ser boa, mas tenho de deixar prevalecer a de Deus, pois Ele sa- be o que é melhor para mim. Tal como um pai que ouve o filho pedir algo, mas não lho dá, pois sabe que lhe poderá dar algo bem melhor, assim também é Deus. Quando você diz seja feita a Sua vontade, você está a perder a sua vida e a abrir mão da sua vontade para fazer a vontade de Deus.

O segundo passo, Ele diz: “… tome a sua cruz…”. Esta cruz não são as doenças, a miséria ou a infelicidade sentimental, mas sim as perseguições que você sofre por fazer o que é certo, por falar a verdade, por ser honesto, por ser sincero… . Esta cruz são as tentações, porque Deus não livra ninguém de ser tentado, mas Ele livra a todos que buscam n’Ele a força, a sabedoria, a verdade e a disposição para não cair em tentação. Pensamentos negativos vêm a todos, e momentos di- fíceis todos enfrentamos, mas quando você anda com Deus, você se resgata. Quando você busca a Deus, independentemente de todos os que o rodeiam, e se nega a si mesmo, às suas manias, aos seus costumes, às suas fantasias, a esse desejo de fazer vingança e justiça com as próprias mãos, de pagar o mal que lhe fizeram com outro mal, a essa vontade de desistir, de fugir e de desaparecer. Aí você toma a sua cruz e aguenta a pressão, a tribulação e a tentação (sem cortar nenhum pedacinho de sua cruz) e você continua a dar passos firmes em direção ao seu objetivo.

Como São Paulo e Barnabé, que depois de terem anunciado a Boa-Nova por muitas cidades e feito muitos discípulos, encorajavam-nos e exortavam-nos a permanecerem firmes na fé, dizendo-lhes: “É necessário passar por muitos sofrimentos para entrar no Reino de Deus” (Atos 14:21-22).

Aqui, através dessa breve história em quadros, quero encorajá-los a se mante- rem firmes na fé, pois sabemos que se estamos no caminho de Deus passaremos por muitas tribulações (provações); mas Ele sabe o quanto cada um de nós pode carregar e, que ainda podemos ir a Ele quando nos sentirmos cansados e oprimidos, e nos aliviará (Mateus 11:28).

“…mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.”
(Romanos 5:3-5)

Algumas citações tiradas da página do Bispo Júlio Freitas.